Google+ Followers

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Gramática


Quando chegas ao pé de mim... não me invades a alma... fazes sim com que inúmeros músculos do meu rosto se contraiam e meu coração pulse mais rapidamente.

Quanto estamos juntos, deixou de haver a discussão de ontem, a briga do amanhã, a falta de razão e argumento... a Birra!

Quem me beijas e afagas minha nuca com tua mão e te envolvo em meus braços... deixa de haver nós, deixa de haver seja o que for... passa apenas a haver a nossa fusão de sentimentos...

Quando... o que realmente és  é um advérbio de tempo... uma conjunção subordinativa temporal... um locução propositiva... Dar nomes a tudo o que não pode ser nomeado mas sim vivido e sentido...

Consequentemente, o quando deixa de existir e passa a ser um dado aquirido... Passa a ser o Estamos, beijamos, ficamos... Igualmente aqui...  advérbios de modo, onde nossa alma se envolve quando juntos estamos J Sempre... de corpo e mente, efectivamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário